Flagra amador real brasileiro brasileira mulata peitudas gozando para seu comedor juiz de fora – mg

2 min

Categoria:

Tag: ,

visualizações

2 min

Categoria:

Tag: ,

Flagra amador real brasileiro brasileira mulata peitudas gozando para seu comedor juiz de fora – mg

Flagra amador real brasileiro brasileira mulata peitudas gozando para seu comedor juiz de fora – mg

Ela arrasou do começo ao fim e na hora de dançar ela me puxou de um jeito pro lado dela que eu não me controlava,passou suas pernas em volta da minha,encaixou seus quadris no meu e rebolava de um jeito que a sua bucetinha entrava direitinho no caminho do meu pau que neste momento já estava incontrolável de disfarçar.

Toquei minha bucetinha e com um leve roçar no meu clitóris tive um orgasmo maluco, o maior que já tinha sentido, mordendo os lábios para não fazer barulho.

eu vou GOZAR…AAHHMMAIIIIIINN!Ela gozando, gemendo e gritando e eu ainda bombando, quando senti que ia esporrar tirei o cacete e subindo nela gozei naqueles lindos seios, ela pediu:-Na minha boca tio! Quero teu leitinho…Com prazer ela abocanhou meu pau babado e limpou-o gostoso, depois com as mãos coletou esperma dos seios e lambeu com gosto os dedos:-Gostoso teu leitinho tio…Nos dois descansamos um pouco, eu ainda queria provar aquele rabo, um cúzinho assim não passa sem vara se depender de mim, mas já estávamos muito atrasados:-Vamos embora Flávia, sua tia vai desconfiar. Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal.

Fui correndo pra cama e finge que estava dormindo , e então o safado ainda veio me comer e como estava com tesao dei como um boa vadiazinha que sou , e depois daquele dia foram vários flagras.

Fique sabendo que tinha dois funcionários na empresa que eram os comedores de quase todas.

Ele é o cara mais gostoso que eu já vi! Só de ver ele eu fiquei molhada no meio do lugar!!!Para a minha sorte, meu jeito brasileiro, 1,77 de altura, minha bunda grande e meu cabelo cacheado chamavam a atenção no meio de tanta mulher loira, magra e sem graça. Bom esse conto é verídico, tenho 38 anos casado com uma linda mulata.

E lá foram eles, conversando, ela disse que era brasileira, ele era dali mesmo.